#

Laguna: médicos retomam atividades após 28 dias de greve

Após exatos 28 dias paralisados, os médicos do corpo clínico do hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos, em Laguna, retomam as atividades a partir das 7h de 28 de dezembro, quinta-feira. A decisão da retomada das atividades ocorreu após garantias de que a dívida de R$ 1,2 milhão será paga integralmente.

“O governo do Estado vai depositar nas próximas horas R$ 400 mil na conta da secretaria Municipal de Saúde e a outra parte é fruto de um acordo extrajudicial de uma ação do hospital contra o município, um valor que está bloqueado e que estará na conta do hospital nos próximos dias. Os médicos receberão integralmente o valor devido, com o compromisso do prefeito Mauro Candemil de acompanhar mais de perto a administração do hospital a partir de agora”, comenta o advogado da Assessoria Jurídica do Sindicato dos Médicos do Estado de Santa Catarina (SIMESC), Erial Lopes de Haro.

Histórico

Os médicos do hospital de Laguna suspenderam as cirurgias e procedimentos eletivos no dia 1º de dezembro para reivindicar o pagamento dos honorários de atendimentos realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e convênios. Os 25 médicos do hospital aderiram ao movimento.

No dia 15 de dezembro, o SIMESC notificou o Conselho Regional de Medicina de Santa Catarina (CRM-SC) sobre o fechamento do centro cirúrgico da unidade de saúde porque o único médico anestesista do hospital pediu demissão por estar há quatro meses sem receber o salário. Com isso, a unidade deixou de atender os casos de urgência e emergência e os pacientes tiveram que ser encaminhados para outras unidades de saúde.

Apesar da gravidade da situação, somente na quarta-feira, 27 de dezembro é que houve a negociação efetiva para a retomada dos trabalhos. Durante todo o período da greve, os médicos tiveram apoio dos funcionários do hospital e dos moradores de Laguna. “A imprensa compreendeu os motivos do movimento, os pacientes também, tanto que participaram das mobilizações em defesa da retomada dos atendimentos. É preciso que os gestores compreendam que os médicos são trabalhadores e que precisam receber pelo seu trabalho. Não é possível escolher quem pagar, mas sim, gerenciar a unidade de saúde de maneira que toda a cadeia produtiva funcione como uma engrenagem perfeita”, comenta o presidente da Regional SIMESC Laguna, Odimar Pacheco.


  •  

EMPREGOS