#

Comitiva viaja ao centro-oeste do estado

Comitiva do SIMESC formada pelo presidente, vice-presidente, diretora de assuntos sócio-culturais e assessor jurídico, Cyro Soncini, Vânio Lisboa, Eliane Soncini e Erial Lopes de Haro, respectivamente, foi a Curitibanos, Caçador e Videira nos dias 5, 6 e 7 de agosto para reunir-se com médicos da região e discutir temas de interesse dos mesmos, pautados, sobretudo, em questões jurídicas relacionadas à aposentadoria e ao exercício da profissão. Cerca de 30 médicos compareceram a cada uma das reuniões avaliadas positivamente pelo número de presentes, participação e interesse.
A primeira visita foi a Curitibanos, onde o tema principal foi a regulamentação do regimento interno do corpo clínico do Hospital Hélio dos Anjos Ortiz. Dr. Cyro lembrou os encaminhamentos relacionados à questão e enfatizou o desinteresse do Sindicato em mover ações de médicos contra médicos. Dr. Erial informou que o Jurídico pediu ao Conselho Federal de Medicina, a oportunidade de sustentar oralmente defesa da regulamentação do mesmo. O médico filiado Albari Goetten de Moraes disse que, muitas vezes, corpo clínico se confunde com a administração do hospital, porém, “médico atende paciente e não administra”, concluiu.
Ao final da discussão, a Dra. Iris Xavier defendeu a reunião e o entendimento entre os membros do corpo clínico. Vânio Lisboa ainda apresentou aos participantes, dados de atuação do departamento Jurídico do Sindicato, e Dr. Cyro falou da possibilidade de criação de escritórios regionais para atender com mais agilidade e rapidez aos filiados em todo o estado. O encontro foi organizado pela diretoria regional do Centro-Oeste, formada pelos médicos Jonas Medeiros, Auredy Aguiar e Gilmar Kruker, presentes à reunião.
Em Caçador, o presidente do SIMESC iniciou falando do tema central da última publicação Boletim Médico, a Judicialização da Medicina. Informou dados sobre gastos do Estado em demandas judiciais na área da Saúde e lembrou as ações do Conselho das Entidades Médicas do Estado de Santa Catarina (COSEMESC) para a criação de ampla parceira entre Justiça e Medicina nos moldes da já estabelecida entre Associação Catarinense de Medicina e Ministério Público, através da CATEME (Câmara Técnica de Medicamentos). “É necessário fazer as boas intenções saírem do papel”, concluiu Cyro Soncini a respeito da Carta de Criciúma – resultado do XIII FEMESC (Fórum das Entidades Médicas do Estado de Santa Catarina).
Em resposta ao médico filiado Airton Aguiar que apresentou dificuldades no serviço público relacionadas a implicação de obrigações que não lhe cabem, Dr. Cyro lembrou a importância de agir, questionar e buscar soluções em grupo, em detrimento do individual. Em seguida, Dr. Vânio informou as ações e áreas de atuação do departamento jurídico, lembrou a alta demanda e o serviço de Defensoria Médica 24 horas, implementado pelo Sindicato em fevereiro deste ano. O assessor Erial Lopes de Haro explicou que a atenção jurídica é um serviço gratuito ao filiado, com exceção de eventuais honorários do médico perito e de sucumbência. O encontro foi organizado pela diretoria regional formada pelos médicos Maria Lúcia Bertolini, Magali Bianchi Alcantara e Flavio Scalcon, presentes à reunião.
Para encerrar a viagem ao centro-oeste, a comitiva foi ao município de Videira, onde o tema principal da reunião foi aposentadoria e as condições para o benefício especial. A orientação do Dr. Vânio foi no sentido de aguardar as definições a respeito e entrar em contato com a assessoria previdenciária do Sindicato. A respeito da contratação para trabalho no serviço público, Dr. Cyro enfatizou a posição do SIMESC que é de contrato por meio de concurso. O assessor jurídico Erial Lopes de Haro explicou que o posicionamento é respaldado pela Constituição Federal.
Em relação ao serviço de atenção jurídica, Dr. Cyro lembrou a criação da Defensoria Médica 24 horas e a atuação do departamento, altamente solicitado nos últimos seis meses. O presidente do SIMESC ainda esclareceu aspectos sobre o problema do aumento das demandas judiciais na área de Saúde e defendeu: “Não queremos botar o preceito da integralidade no lixo, por esse motivo faremos valer até o fim do ano a Recomendação 31 do Conselho Nacional de Justiça” - orienta para a criação de câmaras técnicas de apoio às decisões dos magistrados sobre o tema.
O médico filiado Dr. Adroaldo Wladimir Lorenzzoni se manifestou em relação a problema semelhante no âmbito cooperativo, em que colegas recomendam medicamentos e tratamentos mais caros em relação a outros com eficácia igual ou semelhante. Em resposta, o vice-presidente Vânio Lisboa, recomendou a conversa entre os profissionais cooperados, tendo em conta que 'uma cooperativa é uma empresa e cada cooperado, um sócio'. O encontro foi organizado pela diretoria regional formada pelos médicos Agostinho Julio Bernardi e Carlos Eduardo Waltrick, presentes à reunião. A organização administrativa da viagem foi assegurada pela coordenadora e pelo assessor, Terezinha e Marcelo Koerich.


  • aea01212514949138127a30291f97e38.jpg
    aea01212514949138127a30291f97e38.jpg
  • e2e9d452e24b4ad4a62f1d5e20777a24.jpg
    e2e9d452e24b4ad4a62f1d5e20777a24.jpg
  • 4f59ee1c90c640f99107a6c3ad41cf1e.jpg
    4f59ee1c90c640f99107a6c3ad41cf1e.jpg
  • d7079499f18b40e680ab235bbc57e270.jpg
    d7079499f18b40e680ab235bbc57e270.jpg
  •